“A ideia de vir para os Estados Unidos, veio da minha vontade de voltar a jogar futebol e por não poder largar os estudos”

01 nov 2019, Postado por Felipe Gregório

Como bom carioca, amante de sol, praia e futebol, o boa praça João Luiz Fernandez, reservou um tempo em sua intensa rotina de estudante e atleta da Southeastern Community College, para relembrar seus tempos de atleta em duas modalidades diferentes e falar um pouco como anda a vida no Tio Sam.

Conte um pouco da sua relação com o esporte, desde os primeiros passos, o vôlei, até a identificação do futebol com objetivo e paixão.

R: Sempre fui apaixonado por futebol, como toda criança brasileira, meu primeiro brinquedo foi uma bola, quando tinha 9 anos entrei na escolinha do Vasco da Gama, no ano seguinte já estava disputando campeonatos da federação do Estado do Rio de Janeiro. Mas infelizmente no Brasil os clubes não se preocupam se o atleta estuda, se ele tem aula no horário do treino ou jogo, prova no dia seguinte, eles querem dedicação exclusiva.  Não conseguia conciliar os treinos, torneios e viagens com os horários da escola, então tive que parar de jogar para conseguir me dedicar aos estudos.

Já com 17 anos, surgiu outra paixão, o vôlei, sempre fui fanático por esportes, então acabei me federando nesse novo esporte, joguei cerca de 2 anos. Até que surgiu a oportunidade de jogar futebol e estudar nos Estados Unidos.

De onde veio a ideia de estudar e jogar nos EUA?

R: A ideia de ir para os Estados Unidos, veio da minha vontade de voltar a jogar futebol e por não querer largar os estudos. Então acabei entrando em um consenso com meu pai e achamos o formato americano o ideal, esporte e escola caminhando juntos.

Minha namorada também teve boa influência nisso, ela faz faculdade aqui e é bolsista por ser da equipe de vôlei da universidade, então eu já tinha ideia de como tudo funciona, e claro, a vontade de poder ficar mais próximo dela ajudou também (risos).

Como conheceu a ID Sports e como foi o processo junto à empresa?

R: Conheci em uma conversa com dois amigos na praia, um deles já conhecia a ID Sports e me falou um pouco sobre a empresa, me interessei de cara e na semana seguinte fui fazer uma reunião no escritório da “ID” no Leblon.

Tive todo o suporte que precisei, e não falo da boca pra fora. Como o PH (Pedro Henrique – diretor da ID Sports) também foi estudante/atleta nos EUA, ele sabe o “caminho das pedras”, desde como fazer um vídeo com minhas melhores jogadas, avisar e aconselhar sobre a importância da postura e do comportamento, saber se relacionar com treinadores/professores/instituição, além de preparar toda a documentação para aplicação e matrícula na universidade, até a parte de preparação de campo, sério, os treinos da ID são exatamente iguais aos daqui, com a mesma intensidade, e o futebol aqui é muito estranho, é muito pegado, muito físico. Então já cheguei sabendo o que estava por vir.

Quais seus planos pro futuro?

R: Meu principal plano é seguir no esporte nos EUA, mas se não for possível, ir para um ambiente corporativo é uma excelente opção também.

João experimentando o uniforme de jogo dentro do campus da universidade em West Burlington, Iowa

descubra como a id sports pode mudar sua vida